Quarta, 12 de dezembro de 201812/12/2018
86 9.9458-5206
Muito nublado
22º
28º
30º
Teresina - PI
Erro ao processar!
DIVERSAS EMPRESAS 728X 90 OUTUBRO
Eleições 2018
Eleições 2018

Eleições 2018

ECONOMIA
Brasil criou 110,4 mil empregos com carteira assinada em agosto
Em julho foram criados 47,3 mil empregos formais
Jessica Kelly
Postada em 21/09/2018 às 21h35
Brasil criou 110,4 mil empregos com carteira assinada em agosto

 Ministério do Trabalho informou nesta sexta-feira (21) que o Brasil gerou em agosto 110.431 empregos com carteira assinada. Este é o melhor resultado para o mês nos últimos cinco anos.


De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ao todo, foram registradas 1,353 milhão de contratações e 1,242 milhão de demissões.


No acumulado do ano, segundo o governo, foram criadas 568,5 mil vagas formais.


Em julho, segundo o governo federal, foram criados 47,3 mil empregos formais e em junho, foram fechadas 661 vagas.


Segundo o governo, em agosto, houve abertura de vagas em sete dos oito setores da economia.


O setor de agropecuária foi o único em que houve mais demissões do que contratações. O maior número de empregos criados foi no setor de serviços. Veja abaixo:


Serviços: + 66.256


Comércio: + 17.859


Indústria de transformação: + 15.764


Construção civil: + 11.800


Serviços industriais de utilidade pública: +1.240


Extrativa mineral: +467


Administração pública: + 394


Segundo o Ministério do Trabalho, houve 5.987 admissões e 1.991 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente em agosto deste ano. Com isso, houve um saldo positivo de 3.996 empregos no período.


O trabalho intermitente ocorre esporadicamente, em dias alternados ou por algumas horas, e é remunerado por período trabalhado.


Foram registradas ainda, no mês passado, 7.374 admissões em regime de trabalho parcial e 4.209 desligamentos, gerando saldo positivo de 3.165 empregos.


O Ministério do Trabalho também informou que o salário médio de admissão foi de R$ 1.541,53 em agosto, o que representa alta real de R$ 5,26 em relação a julho.


Em relação a agosto do ano passado, no entanto, o salário de admissão caiu, registrando uma perda real de R$ 1,50.


Em agosto, a diferença entre o salário médio de quem foi demitido e de quem foi contratado foi de R$ 159,27. Enquanto quem foi demitido tinha salário médio de R$ 1.700,80, o salário médio de quem foi contratado foi de R$ 1.541,53.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium