Quinta, 24 de Setembro de 2020
86 9.9458-5206
Polícia Violência

Denúncias de violência contra a mulher por app crescem 45% durante isolamento social no Piauí

Para a coordenadora do Departamento de Proteção à Mulher, delegada Bruna Fontenele, redução mostra que menos vítimas estão conseguindo denunciar no canais formais.

09/09/2020 17h47 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação
Delegada Bruna Fontenele — Foto: Fernando Brito/G1
Delegada Bruna Fontenele — Foto: Fernando Brito/G1

O número de denúncias de violência doméstica feitas pelo aplicativo Salve Maria, da Secretaria de Segurança do Piauí, cresceu 45% entre março e julho, meses em aconteceu o isolamento social por conta da pandemia de coronavírus. O crescimento foi acompanhando por uma redução no número de denúncias feitas presencialmente, nas delegacias.

De acordo com a Secretaria de Segurança, entre março e jullho foram feitas 452 denúncias através do aplicativo, uma média de 90 denúncias por mês. Em 2019, foram feitas 310 denúncias no mesmo período. Já entre janeiro e julho de 2020, foram contabilizadas 530 denúncias pelo aplicativo, 16% a mais do que no mesmo período do ano passado.

As denúncias feitas nas delegacias especializadas de atendimento à mulher (Deam) caíram 20% entre janeiro e julho, em comparação com o ano passado. Ainda assim, a denúncia presencial ainda é o principal meio que as mulheres encontram para pedir ajuda. Ao todo, foram feitas 2567 denúncias durante o período.

Violência não diminuiu

A delegada Bruna Fontenele, coordenadora do Departamento de Proteção à Mulher, afirmou que os dados não significam uma queda da violência no Piauí, mas sim, que menos vítimas estão conseguindo denunciar no canais formais.

"Isso não significa que a violência diminuiu, apenas que com esses dados que a informação está chegando de forma reduzida. Por isso é sempre importante que a gente reforce e oriente que nossos canais presenciais e online estão funcionando para atender às mulheres vítimas de violência doméstica”, informou.

O levantamento foi baseado na quantidade de boletins registrados e teve como fontes o Sistema de Boletins de Ocorrência (SISBO) e o SINESP PPE, ambos da Polícia Civil.

Como denunciar

Além do aplicativo Salve Maria, disponível gratuitamente na loja de aplicativos Play Store e App Store, as denúncias podem ser feitas ainda através do telefone 190, de emergências da Polícia Militar, ou do número 180, do Central de Atendimento à Mulher do Governo Federal.

O Centro de Referência Francisca Trindade iniciou a Campanha "Ei Mermã!", para sensibilizar as mulheres a não silenciarem nenhum tipo de agressão seja física, psicológica, moral, econômica ou patrimonial, e estimular que uma mulher sendo vizinha, amiga, prima, mãe, avó, tia, irmã, esposa, namorada ou cunhada possa denunciar, acolher e ajudar outras mulheres que estiverem em uma situação de violência.

O Centro de Referência recebe também denúncias através do WhatsApp, pelo número (86) 99433 0809. Através do Centro de Referência, tanto vítimas como vizinhos ou familiares das vítimas de violência doméstica podem dúvidas de ordem jurídica e psicossocial. A coordenadoria disponibiliza ainda o e-mail [email protected].

Durante esse período, a Patrulha Maria da Penha manterá as visitas de fiscalização e atenderá também pelo número (86)99414-8857, no atendimento às vítimas com medidas protetivas. Os pedidos de medidas protetivas também podem ser feitos pelo telefone.

Há ainda iniciativas como a do Instituto Esperança Garcia, que criou uma campanha com um vídeo sem som no Instagram. A intenção foi alertar as vítimas sobre as várias formas de se denunciar. O Instituto divulgou ainda o telefone (86) 99416 9451.

Com informações do G1

 

Ele1 - Criar site de notícias