Terça, 01 de Dezembro de 2020
86 9.9458-5206
Política Eleições 2020

Lagoinha do PI: após ser presa pelo Gaeco, Kelly Alencar pode ter candidatura cassada

A coligação 'Lagoinha é Nossa', composta pelos partidos PP, PSDB e PSD, do candidato à reeleição, prefeito Alcione Barbosa Viana, ajuizou ação contra Kelly Alencar acusada de compra de votos.

21/10/2020 09h12 Atualizada há 1 mês
Por: Redação Fonte: GP1
Kelly Alencar (Imagem: Reprodução/Facebook)
Kelly Alencar (Imagem: Reprodução/Facebook)

A coligação “Lagoinha é Nossa”, composta pelos partidos PP, PSDB e PSD, do candidato à reeleição, prefeito Alcione Barbosa Viana, ajuizou Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), na sexta-feira (16), contra a primeira-dama de Agricolândia e candidata a prefeita de Lagoinha do Piauí, Kelly Alencar, acusada de por abuso de poder econômico e compra de votos.

A denúncia relata que é de conhecimento público que, no dia 8 de outubro de 2020, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO – MP, juntamente com a PRF e Polícia Civil, devidamente acompanhado e sob coordenação do promotor Mário Normando, realizou operação de busca em apreensão na residência do prefeito de Agricolândia, Walter Alencar, e de sua esposa Kelly Alencar.

“Esclareça-se que na residência do então prefeito e de sua esposa Kelly Alencar foi encontrada uma arma e listas de eleitores em suposta compra de votos, lista essa que continham nomes de eleitores da cidade de Lagoinha do Piauí, onde Kelly Alencar é candidata a prefeita, cidade que fica vizinha a Agricolândia, cerca de apenas 9km”, destacou a coligação na denúncia.

Foi citado ainda que além da lista, foi encontrada uma série de bens que seriam oferecidos aos moradores, como telhas, cimento, cestas básicas, brinquedos, conserto de moto e até mesmo uma panela de pressão, conjunto de copos e apreensão ainda de R$ 87 mil em dinheiro e R$ 40 mil em cheques.

“Quando a candidata resolve utilizar-se do poder econômico como principal via de “convencimento” dos eleitores, transbordando da viabilização normal de uma campanha eleitoral e cooptando o eleitorado com vantagens (ou promessas de vantagens) econômicas de ocasião (como uma cesta básica, uma certa quantia em dinheiro, a promessa de um emprego, “doações”, etc.), com isso caracterizando está o abuso”, argumentou.

Na ação, a coligação pede a decretação da inelegibilidade de Kelly Alencar e de seu candidato a vice, Adeval Maria, pela prática de abuso de poder econômico, cassação dos registros de candidatura ou dos diplomas, além da aplicação de multa no valor de R$ 53.205,00.

Prisão

O prefeito do município de Agricolândia, Walter Alencar, e sua esposa Kelly Alencar foram presos em flagrante, em casa, na cidade de Agricolândia por crime eleitoral durante a Operação IBI CLAUSUS, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) no dia 8 de outubro.

Na residência do casal, os agentes apreenderam produtos alimentícios, listas de eleitores, bens que seriam oferecidos como forma de comprar votos e R$ 80 mil em espécie.

Em razão do flagrante, o prefeito Walter Alencar e a esposa Kelly Alencar foram conduzidos até a sede da Delegacia Regional de Água Branca, onde foram autuados no art. 334 da Lei n° 4.737 de 15 de julho de 1965, mas foram liberados pouco tempo depois.

Outro lado

Kelly Alencar não foi localizada pela reportagem 

Eleições 2020
Sobre Eleições 2020
Notícias sobre as eleições de 2020
Sobre o município
a
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias