Sexta, 28 de Janeiro de 2022
86 9.9458-5206
Justiça Adiado

Após 23 anos, Djalma Filho será julgado pela morte do jornalista Donizetti Adalto

O ex-vereador de Teresina é acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto.

25/10/2021 08h52 Atualizada há 3 meses
Por: Redação
Djalma Filho e Donizetti Adalto - Foto: Divulgação
Djalma Filho e Donizetti Adalto - Foto: Divulgação

A 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri vai julgar nesta segunda-feira (25), às 8h30, o ex-vereador de Teresina, Djalma da Costa e Silva Filho, mais conhecido como “Djalma Filho”, acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Donizetti Adalto, crime ocorrido em 19 de setembro de 1998.

Julgamento adiado para o dia 29 de outubro

A sessão de julgamento foi adiada pelo juiz Antônio Reis de Jesus Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal do Popular do Júri, por ausência de advogado de defesa do ex-vereador, uma vez que houve renúncia dos que haviam sido constituídos.

Djalma chegou ao Fórum Cível e Criminal Desembargador Joaquim de Souza Neto por volta das 7h10, sem chamar muita atenção e com uma pasta preta na mão.

Acusação

De acordo com a acusação do Ministério Público, baseado em inquérito policial proveniente do 2º Distrito Policial, Donizetti Adalto foi morto numa emboscada, impossibilitando a sua defesa, onde foram desferidos vários tiros a queima roupa e, ainda agonizando, foi torturado, o que lhe causou traumatismo nas unidades dentárias.

O ex-vereador Djalma Filho foi pronunciado por homicídio triplamente qualificado: motivo fútil, meio cruel e a emboscada. O crime é considerado hediondo.

Caso seja condenado pelo Tribunal Popular do Júri, o ex-vereador Djalma Filho poderá pegar até 30 anos de cadeia.

Fonte: GP1

 

Ele1 - Criar site de notícias