GR GÁS E ÁGUA - SÃO GONÇALO DO PIAUÍ - GASPAR
MANOS GRÁFICA - TOPO
RC MOTOS - BARRO DURO - REGIS
TERIM - TOPO
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 1
CALÇADEIRA PÉ QUENTE
CANAL 121 - TOPO
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 2
FUNERÁRIA NOVA VIDA - TOPO
TJR - AUTO PEÇAS - TERESINA PIAUÍ
Decisão

Universidade decide expulsar estudante que agrediu árbitra em partida de futsal

A defesa tem o prazo de 10 dias para recorrer da decisão.

Piauí

PiauíNotícias do Piauí

11/09/2019 20h32Atualizado há 5 meses
Por: Redação
Imagem: Divulgação
Imagem: Divulgação

A Universidade Federal do Delta do Parnaíba - UFDPar  divulgou nesta quarta-feira (11/09) a expulsão do estudante Rodrigo Quixaba acusado de agredir a árbitra, Eliete Fontenele durante uma partida de futsal. 

Após três meses analisando o caso e ouvindo testemunhas, a UFDPar decidiu expulsar o estudante de engenharia de pesca, Rodrigo Quixaba da instituição. A defesa tem o prazo de 10 dias para recorrer da decisão.

O caso repercutiu em todo o país e gerou revolta dentre o corpo estudantil da instituição que gerou manifestações pedindo a expulsão do agressor.

Entenda o caso

A árbitra Eliete Fontenele foi agredida com socos durante uma partida de futsal realizada na quadra da Universidade Federal do Delta Parnaíba no dia 03 de junho deste ano. A agressão ocorreu a após a árbitra punir três jogadores com cartão vermelho durante uma confusão generalizada entre os dois times. 

Um vídeo feito por um aluno que estava na arquibancada registrou o momento em que o estudante de engenharia e pesca parte para cima da árbitra e a golpeia com um soco no rosto que a derruba no chão.  As imagens vitalizaram nas redes sociais gerando uma grande revolta.

Após a agressão a profissional foi até a Central de Flagrantes de Parnaíba onde registrou um Termo Circunstanciado e passou por exames de corpo de delito que apontaram lesões leves provocadas pela agressão.  

Dias após cometer o crime o estudante prestou se entregou a polícia e prestou depoimento onde afirmou que não teve a intenção de agredir a profissional. 

Com informações do MN