FUNERÁRIA NOVA VIDA - TOPO
MANOS GRÁFICA - TOPO
CANAL 121 - TOPO
TERIM - TOPO
FACULDADE UNOPAR - 04-11-2019
Prisão

Presa suspeita de se passar por médicos e advogados em sites de compras para aplicar golpes em Teresina

Delegado disse que já foram identificadas pelo menos 15 vítimas da mulher e do grupo criminoso que ela integrava.

26/11/2019 13h54Atualizado há 1 semana
Por: Redação
Evitha Kelly Silva Benício (Imagem: Divulgação PC)
Evitha Kelly Silva Benício (Imagem: Divulgação PC)

Uma mulher identificada pela Polícia Civil como Evitha Kelly Silva Benício foi presa preventivamente suspeita de estelionato e associação criminosa em Teresina. A prisão aconteceu nessa segunda-feira (25) e, segundo o delegado de Polícia Civil Anchieta Nery, ela é suspeita de se passar por profissionais renomados da capital para fazer compras em aplicativos, mas nunca pagava pelos produtos.

“Ela e outras pessoas suspeitas se utilizavam da identidade de pessoas idôneas, como médicos, dentistas, advogados, e faziam negociações em sites de compras, como OLX, Mercado Livre, e sempre compravam eletrônicos caros, como celulares, smart tv, smartwatch”, explicou o delegado titular da delegacia de repressão aos crimes de informática, José de Anchieta Nery.

Segundo o delegado, o grupo se aproveitava de informações disponíveis nos perfis profissionais dessas pessoas nas redes sociais, como fotos e dados pessoais, para se passar por clientes nos sites de compra e venda. Dessa forma, garantiam credibilidade diante dos vendedores, enviavam um comprovante de transferência bancária falso, as vítimas acreditavam e entregavam o produto

"Depois que enviava o comprovante, algumas pessoas chegavam a conferir a conta bancária, mas ela dizia que a transferência era demorada mesmo, e as vítimas acabavam acreditando. Quando ela ia receber, dizia ser funcionária ou até sobrinha da pessoa que tinha entrado em contato. Acreditamos que eles vinham aplicando esse golpe desde o início do ano", disse o delegado Anchieta Nery.

Segundo ele, já foram identificadas pelo menos 15 vítimas da mulher e do grupo criminoso, incluindo vendedores que tiveram prejuízos e pessoas que tiveram seus nomes utilizados nos golpes. O delegado acredita que, com a divulgação do caso, novas vítimas deverão procurar a polícia para registrar outros golpes praticados.

Ainda de acordo com Anchieta Nery, este tipo de golpe é comum e é possível que o grupo tenha feito vítimas não apenas em Teresina, mas em outros estados também. Ele fez o alerta:

"A pessoa não pode confiar apenas na imagem do comprovante. Sempre confira se o valor caiu na sua conta antes de fazer a entrega de um produto", orientou.

Fonte: G1 Piauí

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários