CALÇADEIRA PÉ QUENTE
FUNERÁRIA NOVA VIDA - TOPO
MANOS GRÁFICA - TOPO
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 1
CANAL 121 - TOPO
TERIM - TOPO
GR GÁS E ÁGUA - SÃO GONÇALO DO PIAUÍ - GASPAR
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 2
RC MOTOS - BARRO DURO - REGIS
TJR - AUTO PEÇAS - TERESINA PIAUÍ
Suspenso

Presidente Bolsonaro suspende subsídio a contas de luz de igrejas

Segundo Bolsonaro, o governo federal não avalia mais dar incentivos fiscais para as contas de luz das igrejas brasileiras.

Brasília

BrasíliaNOTÍCIAS DIRETO DE BRASÍLIA

16/01/2020 08h05
Por: Redação
Adriano Machado / REUTERS
Adriano Machado / REUTERS

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (15) que, atendendo a pedido do Ministério da Economia, suspendeu o subsídio a contas de energia de templos religiosos no País.

Segundo Bolsonaro, o governo federal não avalia mais dar incentivos fiscais para as contas de luz das igrejas brasileiras. O anúncio foi feito após reunião com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. "A política da economia é não ter mais subsídios, está suspensa qualquer iniciativa nesse sentido", afirmou.

Bolsonaro disse que o impacto da medida [dar subsídio a contas de luz das igrejas] seria mínimo, mas ele atendeu a pedido do Ministério da Economia e suspendeu o incentivo fiscal.

A ideia de subsidiar as contas de luz foi divulgada na última sexta-feira (10) pelo jornal O Estado de S. Paulo e esteve em estudo pelo ministério chefiado por Paulo Guedes.

Bento Albuquerque, que fez parte da reunião com Bolsonaro nesta quarta, já havia tratado o assunto em entrevista recente à Reuters e defendido o subsídio, vetado pelo ministério da Economia.

O ministro disse à agência de notícias que a medida teria impacto "insignificante para o contribuinte", que teria que pagar ao todo R$ 30 milhões ao ano, já que a proposta em estudo previa que apenas grandes templos teriam direito ao subsídio. Religiões sem grandes igrejas não teriam benefício algum, e, na prática, o incentivo fiscal beneficiaria apenas igrejas evangélicas e católicas.

Segundo Albuquerque, "O pleito é de todos os templos, de todos os segmentos religiosos... 92% da população brasileira, de acordo com as pesquisas, o último censo, tem alguma prática religiosa. E o governo é sensível a isso, que vai atender à maioria total da população", disse à Reuters.

Fonte: IG

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários