FACULDADE UNOPAR - 04-11-2019
MANOS GRÁFICA - TOPO
TERIM - TOPO
CANAL 121 - TOPO
FUNERÁRIA NOVA VIDA - TOPO
Consumo de energia

Durante B-R-O-Bró, consumo de energia aumenta 36%

Dicas para manter o consumo reduzido vão desde a escolha das cores das paredes até o uso de roupas leves, que não necessitem serem passadas.

Piauí

PiauíNotícias do Piauí

09/09/2019 10h24
Por:
Fonte: Com informações: Jornal ODIA
Durante B-R-O-Bró, consumo de energia aumenta 36%
Durante B-R-O-Bró, consumo de energia aumenta 36%

O Piauí é o Estado com maior número de horas sob exposição solar, de acordo com o Instituto de Nacional de Meteorologia, que aponta uma exposição de 300 horas em zonas mais intensas. Com as temperaturas elevadas, aumenta também o consumo de energia. 

De acordo com a Cepisa Equatorial, se levar em consideração o ano de 2018, o consumo de energia elétrica aumenta até 36% nos quatro últimos meses, em relação aos outros meses do ano. Gilvan Monteiro, eletrotécnico da concessionária, pontua que o próprio equipamento elétrico sofre com o aumento da temperatura externa e as pessoas, por conta dos seus hábitos, tendem a fazer um maior consumo. 

A conta de energia mantem bandeira vermelha, em patamar 1, sem alteração de tarifa. Para reduzir os gastos, o eletrotécnico dá algumas dicas, como desde a escolha das cores das paredes até o uso de roupas leves, que não necessitem serem passadas.

“É importante escolher equipamentos com selo de eficiência letra A do Inmetro, isso ajuda muito. Outra dica é projeto o imóvel de forma a melhorar a circulação de ar, gastando menos com climatização artificial, como ventilador, climatizador ou ar-condicionado. Além disso, pintar as paredes de cores claras também favorece, pois gasta-se menos com iluminação”, comenta. 

O climatologista Werton Costa destaca que, ao longo de 30 anos, o Instituto de Nacional de Meteorologia faz medições de todas as áreas climatológicas para estabelecer as novas médias climáticas do País. Ele pontua que, no final do ano passado, o Instituto divulgou as médias normais, onde o Piauí se destacava em agosto com a maior taxa de insolação do país, e em setembro com as taxas de insolação e temperatura. 

“Isso é climatologicamente normal, uma característica típica da nossa região, que se destaca em função dos valores que foram medidos pelas estações meteorológicas, em algumas áreas em particular, como o Vale do Longá, Esperantina, Batalha, Luzilândia e a região entre Oeiras e Floriano. Isso nos patamares de calor, mas em todo o Estado do Piauí é quente, mas essas áreas tem um diferencial. Já no padrão da umidade relativa do ar, o destaque vai para as faixas do Cerrado e para a faixa sertaneja”, enfatiza Werton Costa. 

O climatologista ainda enfatiza que Teresina fica em rios e a umidade do ar fica elevada, ou seja, quando estamos a 37 ºC a sensação térmica simula os 40 ºC. “Em setembro apresentam algumas ilhas de calor, onde áreas registram maior concentração de radiação e naturalmente de calor. Todo o Estado apresenta temperaturas que ficam entre 35 e 37 faixa média do período”, conta.

 

 

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários