FUNERÁRIA NOVA VIDA - TOPO
TERIM - TOPO
MANOS GRÁFICA - TOPO
RC MOTOS - BARRO DURO - REGIS
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 2
CANAL 121 - TOPO
TJR - AUTO PEÇAS - TERESINA PIAUÍ
GR GÁS E ÁGUA - SÃO GONÇALO DO PIAUÍ - GASPAR
BANNER DA INTERNET - SÃO GONÇALO 1
CALÇADEIRA PÉ QUENTE
Nova marca

Ambev propõe lançar cerveja a partir da mandioca com marca piauiense

O governador se reuniu com executivos do grupo para implantação do projeto que visa fortalecer a agricultura familiar.

Direto de Teresina

Direto de TeresinaNotícias de Teresina Piauí.

12/12/2019 14h37Atualizado há 1 mês
Por: Redação
Imagem: Divulgação Ascom
Imagem: Divulgação Ascom

Em busca de novas parcerias e investimentos para o Piauí, o governador Wellington Dias esteve com representantes da Cervejaria Ambev Brasil. A reunião ocorreu, nessa quarta-feira (12), em São Paulo. Estiveram presentes o presidente da Ambev, Jean Jereisatte; o vice-presidente Ricardo Melo e o diretor de vendas Leandro Ligeiro.

“Tive uma agenda importante com a Ambev, eles me surpreenderam com uma proposta de lançar uma cerveja a partir da mandioca com marca e nome piauienses. Eles querem ainda fazer a compra a partir da agricultura familiar com os pequenos produtores, selecionando a região, os produtores e, com isso, vão padronizar a mandioca. A partir daí vão fazer a produção da cerveja com um preço justo e comprar direto sem intermediários e nós vamos gerar renda para quem precisa, que é o agricultor familiar”, destacou o governador Wellington Dias.

Diante do que foi apresentado, o chefe do Executivo estadual manifestou total apoio. “Vou trabalhar um projeto de lei no sentido de organizar e incentivar. Existe uma experiência semelhante no estado do Maranhão e, se Deus quiser, será uma oportunidade para muitos piauienses”, afirmou Dias.

O governador destacou ainda outros benefícios da implantação do projeto. “Para a queima das caldeiras, a cervejaria vai utilizar um volume significativo de babaçu e, com isso, garantir uma renda para as quebradeiras de coco que utilizam a retirada da amêndoa e vendendo a casca que é utilizada nessa queima. Isso gera uma renda adicional importante e, claro, uma energia renovável porque é o fruto do babaçu”, disse Wellington.

Segundo o presidente da Ambev, Jean Jereisatte, a previsão para execução do projeto é 2020. “Nós da Ambev temos uma política onde estamos apostando muito em inovação e regionalismo e dentro dessa estratégia elegemos o Piauí como um lugar onde queremos desenvolver um produto de piauiense para piauiense feito com a receita local com a cadeia de abastecimento 100% local. O governador nos ouviu e garantiu total apoio ao projeto”, disse Jean.

Ainda de acordo com Jereisatte, o nome do produto deve refletir a alma do piauiense. “Ainda não temos um nome, mas temos muita vontade de poder ter um produto que represente a alma do piauiense. Precisamos de alguns meses para desenvolver a cadeia de fornecimento e pequenos agricultores”, explicou o presidente.


Fonte: Com informações da Ascom

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários